letra cifra
início | curadoria | pesquisa | critérios | textos | músicas | depoimentos | mural | busca
Fuscão Preto
Jeca Mineiro a compôs, com o pintor de placas e cartazes Atilio Versuti, essa canção que se tornou um verdadeiro fenômeno da música sertaneja. Logo após ficar pronta, a música foi gravada pela dupla Giovanti e Mariel, numa prensagem particular. Em 1980, o trio mineiro Vandeirante, Zé Batista e Darlon gravou-a por um pequeno selo. No fim daquele ano, Zé Tapera e Teodoro gravaram "Fuscão Preto" para a RCA. Estas gravações, entretanto, não obtiveram sucesso e passaram desapercebidas.

Essa é uma das músicas que coloca um divisor na musica caipira. Traz o gênero pra perto do romantismo mais pop, concorre no rádio com hits de todos os gêneros, coloca no mercado do show bussiness , dá status de superstar a cantores e duplas sertanejas.

<a href="http://www.dicionariompb.com.br/jeca-mineiro/dados-artisticos" target="new">Leia mais no “Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira”</a>


Voltar
Me disseram que ela foi vista com outro
Num fuscão preto pela cidade a rodar
Bem vestida igual à dama da noite
Cheirando a álcool e fumando sem parar

Meu Deus do céu, diga que isso é mentira
Se for verdade esclareça por favor
Daí a pouco eu mesmo vi o fuscão
E os dois juntos se desmanchando de amor

Fuscão preto você é feito de aço
Fez o meu peito em pedaço
E também aprendeu matar
Fuscão preto com o seu ronco maldito
Meu castelo tão bonito
Você fez desmoronar...



Conhecido principalmente pelo mega sucesso do "Fuscão Preto", José Silva, também conhecido como Jeca Mineiro, é autor de diversas obras primas no repertório Caipira Raiz, como por exemplo "Não Beba Mais Não" (Jeca Mineiro - Orlandinho) e "A Dama de Vermelho" (Jeca Mineiro - Ado Benatti).

Nascido em Arceburgo-MG no dia 04/09/1913, criado junto de Violeiros e Catireiros, pode-se dizer que sua carreira artística se iniciou quando contava com apenas 10 anos de idade, quando passou a tocar viola e cantar em reuniões festivas. E, aos 15 anos, ganhou de sua avó uma Viola; por essa época, mudou-se para São José do Rio Pardo-SP, onde continuou a se apresentar em festas.

Leia mais em “Viola Enluarada”



Iniciou a carreira artística na década de 1970. Sua primeira composição gravada foi \"A porteira\", com Luis de Castro, registrada em LP Beverly pela dupla Zilo e Zalo. Em 1978, duas composições suas foram gravadas pelo grupo Companheiros da Lua no LP \"Degraus da vida\", do selo Califórnia: \"Obsessão\" e \"Meu sertão chora comigo\", ambas em parceria com Paulo Santos.

No mesmo ano, a dupla Lourenço e Lourival gravou \"Palhaço do teu amor\", parceria com Luis de Castro, no LP \"Novo caminho\", da Chantecler, e a dupla Tião Carreiro e Paraíso gravou \"Minha terra, minha infância\", com Luis de Castro e Tião Carreiro, no LP \"Tá do jeito que eu queria\", pela gravadora Caboclo/Continental.

Dois anos depois, a dupla Liu e Leu gravou \"Volta do caminheiro\" no LP \"Sementinha\". Ainda nesse ano, compôs com Jeca Mineiro a guarânia \"Fuscão Preto\", que seria seu maior sucesso, lançada pelo trio Os Gladiadores. O hit alcançou uma vendagem de 100 mil cópias e seria gravada no mesmo ano pela dupla Zé Tapera e Teodoro.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira